Como DEUS escolhe as mães de crianças especiais...



DEUS ESCOLHE... assim...


A maior parte das mães de hoje em dia tornam-se mães por acidentes, 
outras por escolhas próprias, outras por pressão social, outras por hábito.


Esse ano quase 100 mil mulheres se tornarão mães de crianças deficientes.


Você alguma vez já pensou
como as mães dos deficientes são escolhidas?
Eu já.


Uma vez visualizei Deus pairando sobre a Terra selecionando 
o seu instrumento de propagação com grande carinho e compassivamente.


Enquanto Ele observava, Ele instruía seus anjos
a tomarem nota em um grande livro.
Para Beth, um menino, anjo da guarda Matheus.
Para Marjorie, uma menina, anjo da guarda Cecília.
Para Carrie, gêmeos, anjo da guarda, 
mande o Gerard ele está acostumado com a profanidade.


Finalmente ele passa um nome para um anjo sorri e diz:
Dê a ela uma criança deficiente.
O anjo cheio de curiosidade pergunta:
- Por que a ela senhor? Ela é tão alegre...


- Exatamente por isso.
Como eu poderia dar uma criança deficiente 
para uma mãe que não soubesse o valor de um sorriso?
Seria cruel.


- Mas será que ela terá paciência?
- Eu não quero que ela tenha muita paciência porque aí ela com certeza 
se afogará no mar da auto-piedade e desespero.
Logo que o choque e o ressentimento passar,
ela saberá como se conduzir.
- Senhor, eu estava observando hoje. 
Ela tem aquele forte sentimento de independência.
Ela terá que ensinar a criança a viver no seu mundo e não vai ser fácil.
E além do mais Senhor, eu acho que ela nem acredita na sua existência.


Deus sorri.
- Não tem importância. Eu posso dar um jeito nisso.
Ela é perfeita. Ela possui o egoísmo no ponto certo.
O anjo engasgou.


- Egoísmo? E isso ainda é por acaso uma virtude?
- Deus acenou um sim e acrescentou:


- Se ela não conseguir se separar da criança de vez em quando,
ela não sobreviverá. 
Sim, essa é uma das mulheres que eu abençoarei
com uma criança menos perfeita.


Ela ainda não faz idéia, mas ela será também muito invejada. 


Sabe, ela nunca irá admitir uma palavra não dita; 
ela nunca irá considerar um passo adiante, uma coisa comum.


Quando ela descrever uma árvore ou um pôr do sol para seu filho cego, 
ela verá como poucos já conseguiram ver a minha obra. 


Eu a permitirei ver claramente coisas como
ignorância, crueldade, preconceito 
e a ajudarei a superar a tudo. 

Ela nunca estará sozinha. 
Eu estarei ao seu lado cada minuto de sua vida,
porque ela está trabalhando junto comigo.